Misericordia extravagante

Marcos 2:15-17

“Eu não vim para chamar os justos, mas pecadores.”

(Marcos 2:17)

Em Palavra

O que estava na mente de Deus, quando Ele veio com esse plano? Nós nuca saberemos a plenitude de seus pensamentos. Mas, considere a estranheza de um Deus justo e santo que ignora aqueles que tentam tornar-se limpos para dar a graça àqueles que não tentam.   Considere o mistério de um Deus que cria uma raça que ele sabe perfeitamente que entrará em colapso, em rebelião e depravação, simplesmente para que Ele possa resgatar essa raça. Pondere a sabedoria por trás de uma criação tão completamente perdida que só aqueles que conhecem sua perdição são elegíveis para ser encontrados. Quem pode conhecer a mente desse Deus?

 

Não podemos entender completamente a razão por traz desta estranha criação. Durante séculos filósofos perplexos tem contemplado o mistério do mal, e poucas respostas, se houver alguma, os satisfazem. Mas imagine o conselho dentro da Trindade santa, antes da fundação do mundo. Sabemos que Deus nos criou para que pudesse ser conhecido. Mas conhecer como? Em um mundo perfeito Ele poderia ter demonstrado Seu poder, Sua pureza, sua sabedoria, sua criatividade, todos os Seus atributos. Exceto um. Misericórdia. Como pode um Deus misericordioso ser conhecido em um mundo perfeito? Ele não pode. O imperfeito tinha que vir.

 

Em Ação

Deus deseja ser conhecido em Sua misericórdia. Não apenas misericórdia, de fato, mas a misericórdia extravagante. Misericórdia Incompreensivelmente extravagante. Incompreensível misericórdia. O tipo de misericórdia que se estende de tal maneira vasta que aqueles que a vêem são forçados a cair sobre os seus rostos em sinal de gratidão e adoração. Você conhece esta misericórdia? Vamos sentar com os publicanos e pecadores na mesa e beber. Deixe os fariseus resmungarem. Estamos aprendendo a mente de Deus.

"Amor maravilhoso! Como pode ser que Tu, meu Deus, morresse por mim. "

-Charles Wesley