Corações Tranquilos

João 16.31-33
"Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo. " João 13.31

 

Na Palavra

Jesus não se iludia acerca da natureza humana. Ele que veio redimir uma raça decaída sabia exatamente o que esta raça era capaz de fazer. E em nenhum local dos evangelhos Jesus promete a seus discípulos poupá-los da brutalidade deste mundo. Em lugar algum ele sugere que eles poderiam escapar do sofrimento. Ele oferece uma paz maior que este sofrimento.

Todos os seres humanos sofrerão alguma vez. Faz parte da vida neste mundo decaído. Discípulos de Jesus terão um item adicional para seu sofrimento: perseguição e rejeição. Ainda assim Jesus promete paz. Como ele pode fazer isso? Como ele pode dizer que por um lado seus discípulos vão sofrer e conhecer a mesma rejeição que ele experimentou, e por outro lado, dizer-lhes para não desanimarem?

 

Na Prática

Sementes são enterradas no chão. Lagartas são confinadas em casulos. Grãos são moídos até o pó. Mas cada um tem um propósito maior e outro mundo (ou função) para desfrutar e completar. Assim também nós temos. Nós podemos facilmente nos enganar ao pensar que Deus nos designou para um simples tempo de vida na terra, enquanto ele e seu Reino celestial é um bônus. Mas o Reino é o evento principal. Como as sementes, a lagarta e o grão são formas elementares, nós seremos moldados e transformados para um plano maior e mais completo.
O mundo é a arena onde somos treinados. Conforme Deus nos molda para seu Reino, ele usa diversas ferramentas. Uma delas é a tribulação que o mundo naturalmente nos proporciona. Mas nossos problemas não são aleatórios e sem sentido. Podemos tranqüilizar nossos corações. Encontramos paz quando conseguimos enxergar além do campo de treinamento que tantas vezes nos deixa desconfortáveis. Encontramos paz quando colocamos todos os nossos desejos naquele que é maior que o mundo.

“Este mundo é nossa passagem, não nossa porção.”
Matthew Henry