Misericórdia em Nós

Mateus 9.9-13

“Pois eu não vim chamar os justos e, sim, os pecadores ao arrependimento.” Mateus 9:13

 

Na Palavra

Ao aprendermos a mente de Deus, devemos nos transformar conforme isto. Uma coisa é aprender e apreciar as revelações de Deus sobre Ele mesmo. Outra coisa é saber que ele espera que sejamos iguais a ele. Quando aprendemos sobre Deus com isso em mente, nós ficamos impressionados. Como podemos ter tal caráter? Como podemos nos aproximar de tal perfeição? Nós temos a promessa de que Cristo virá morar dentro de nós.

Ele fará esse trabalho de mudança sozinho. Tudo o que ele nos pede é nossa cooperação.
Então o que podemos esperar dEle? Se ele é extravagantemente misericordioso, assim devemos ser também. Se Ele prefere a companhia daqueles que assumem sua pecaminosidade em vez dos que a escondem, então devemos fazê-lo.
Se ele senta à mesa com os rejeitados, Ele colocará isso em nossos corações para fazermos igualmente.

 

Na Prática

Esse Deus se mostrou em nosso planeta em forma de um Salvador misericordioso. Ele nos oferece graça sem repreensão para aqueles que sabem que precisam dela. Suas repreensões são guardadas para aqueles que não reconhecem sua necessidade. Ele é pureza que persegue o corrupto; Misericórdia que procura os necessitados; Graça que demanda apenas fé.
“Mas todos nós, com o rosto descoberto, refletindo a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.”
(2 Corintios 3:18). Vamos meditar o quanto o cárater do Salvador está se tornando uma parte de nossas vidas. Enquanto somos transformados conforme Sua imagem, nós deveríamos ver um nós mesmos as características que ele demonstrou. Nós deveríamos sentar à mesa com “Coletores de impostos e pecadores” com necessidade de cura em suas mentes.
Somos parecidos com Ele? Temos uma extravagante misericórdia? Quando as pessoas nos descrevem, essa descrição reflete em pequena parte o Seu atraente chamdado? “Eu estou aqui para pecadores.”

“Não podemos evitar de agirmos de acordo aquilo que amamos.”
Francis de Sales